A escolha – resenha

porKate

A escolha – resenha

“Às vezes, as indivíduos não têm noção das promessas que estão fazendo no hora em que as fazem”

Travis Parker tem tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, colegas leais, e uma atraente casa beira-mar na jovem município de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida ótima, seus relacionamentos amorosos são somente passageiros e para ele, isto é o bastante. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, apresenta-se na porta.

Embora de suas tentativas de ser afável, a ruiva acolhedor parece ter animosidade dele. Também efetivamente, Travis não pode evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma trajeto que ninguém poderia prever.Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais atroz de todas: Até no qual você iria preservar o amor de sua vida?
Esse não foi, nem sequer de próximo, o primeiro livro de Nicholas Sparks que peguei para ler. É constantemente bom pegar um de seus livros para ler uma vez que ele faz direito à celebridade que possui no condição de “livros que te fazem afligir-se baldes d’água”. Claramente, peguei uns lencinhos e me preparei psicologicamente para as lágrimas que deveriam aparecer no acontecer dessa análise.

O livro é apurado em terceira indivíduo, de forma que possuimos a visão dos 2 personagens principais: Travis e Gabby.
Gabby é uma acompanhador médica que executa incansavelmente numa clínica pediátrica.

Ela muda-se de Savannah na acompanhador de sua cachorra Molly para Beautford, uma jovem município do interior, para ficar mais próximo de seu aficcionado perfeito, porém atrapalhado, Kevin. Tirando o feito de que ele achado se esquivando há aproximadamente cinco anos de um simples matrimônio, Gabby ficou feliz em quantidade estar ao lado dele e achava que, dessa maneira, o relacionamento poderia adquirir um novo patamar.

Já Kevin não tinha os mesmos planos. Era o forma de cara que não pensava bastante no amanhã, e aparecia mais interessado em seu trabalho com seu agente, no ataque comercial.Dessa maneira, Gabby foi se sentindo cada vez mais sozinha nessa nova município, afinal de contas, não tinha então mais nada que ela conhecesse e pudesse mudar o tempo, além de sua cachorra Molly.

Até que ela alcança que a cachorra vem agindo de maneira estranha, começa a passar a ter peso e bom … ela aparecia grá vida, uma coisa que deixou Gabby surpreendentemente furiosa.

Tão furiosa que, sem nem sequer julgar, ela toma a decisão de abarcar o campo e a cacuri que divide seu terreno com o de Travis, amo de Moby, um cachorro que ela havia averiguado rondando por então e acreditava ter engravidado sua cachorra, para levar satisfações e realizar com que ele arque com a sua parte na responsabilidade do que houve.
Travis é residente de Gabby.

Um solteirão belo e fascinado por esportes radicais.

Todos os seus colegas de infância se casaram, formaram família e esperam que ele faça o mesmo.Ele gostava de provocar uma vida aberto e absoluto. Até queria fazer uma família um dia, porém isto não era uma coisa em que ele pensasse bastante … até a noite em que Gabby atravessa seu campo acusando Moby, seu cachorro, de ter engravidado a sua cachorra. Ela chega como um furacão. Num hora de extrema alienação e abalada por tantos complicações na cabeça, Gabby faz um escândalo por abonar que o cachorro dele tinha uma coisa a analisar com o acessório com sua cachorra.
Porém a partir daí, o agulha de suas vidas fica inteiramente.

A atração foi instantânea. Travis não teve como se abiscoitar, porém de qualquer maneira, ela tomou seu coração com todo aquele modo louco e meio arrebatado. Ele tentou se absolver, porém Gabby não permitiu que ele falasse de forma nenhuma.

No dia posterior, ela levou sua cachorra numa clínica e, para seu admiração, Travis era o veterinário. E para dificultar sua situação, embora de Molly estar grá vida, Moby não podia ser o agente, uma vez que ele era castrado.Depois de bastante se absolver por suas gafes, os 2 acabam se tornando colegas.

Em um final de semana em que Kevin não aparecia na município, Gabby aceitou um aceno de Travis para um volta de barcaça com ele e seus colegas, como maneira de esquecerem o que houve antecedentemente. E ainda que fique muito evidente que os 2 não se parecem em nada, é inevitável que eles se apaixonem ao longo o tempo que passaram acompanhados.
Então Gabby necessita optar se continua com Kevin que, embora de se esquivar do matrimonio que ela tanto quer, ela já o conhece e sabe como ele é, ou se precisa abandoná-lo para ficar com Travis, que possui um modo bastante distinto do dela.

A essa altura da história, pensei que essa era a análogo escolha a que se refere o título do livro e, para abordar a verdade, fiquei bem desanimada, uma vez que achei que o remanente da história era só “encheção de linguiça”, uma vez que se a história é sobre os 2, é óbvio que ela escolheria o Travis e fim do amor, certamente?
Bem, eu aparecia enganada.

Não sobre Gabby adotar Travis, uma vez que isto de fato ocorre, como já era de se acreditar. Porém a análogo escolha não era essa.Considero Nicholas Sparks um bom autor, ele sabe como abarcar e possui uma caso bastante gostosa de se ler, porém ele não seria quem é se não introduzisse em suas histórias uma ótima dose de catástrofe ou tragédias.

Veja o vídeo resenha do livro A ESCOLHA

Sobre o Autor

Kate administrator

Deixe uma resposta